Itália

Nova Ferrari tem 'barbatana' gigante e resgata predomínio do vermelho

Publicado em 24/02/2017 , às 15 h19

Agência Estado

A equipe de Maranello apresentou o modelo SF70H trazendo uma série de novidades aerodinâmicas. / Foto: AFP.

A equipe de Maranello apresentou o modelo SF70H trazendo uma série de novidades aerodinâmicas. Foto: AFP.

Depois de terminar o Mundial de Construtores de 2016 no terceiro lugar, sendo superada de longe pela campeã Mercedes e também pela vice-campeão Red Bull por uma considerável vantagem, a Ferrari apresentou nesta sexta-feira, no circuito de Fiorano, na Itália, o seu novo carro para a temporada de 2017 da Fórmula 1.

Com a missão de recuperar o status de candidata real ao título que tinha até pouco tempo atrás e também com o desafio de construir um monoposto mais competitivo em meio às exigências do novo regulamento técnico que a categoria ganhou para este ano, a equipe de Maranello apresentou o modelo SF70H trazendo uma série de novidades aerodinâmicas, assim como resgatou a velha tradição ao retomar a tradicional pintura quase que totalmente vermelha.

No ano passado, no qual a forte dupla de campeões mundiais formada por Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen esteve longe de sonhar com o título, com o alemão terminando o Mundial de Pilotos em quarto lugar e o finlandês em sexto, a Ferrari contava com um carro com a cor branca ganhando mais espaço em meio ao predominante vermelho.

Mas, muito mais importante do que o resgate de sua mítica cor, foi a série de mudanças promovidas pela escuderia italiana na construção de seu carro, que será colocado à prova em uma nova Fórmula 1 na qual o seu regulamento para 2017 prevê que os monopostos sejam significativamente mais rápidos do que os da temporada de 2016.



Com a adoção de pneus traseiros mais largos fornecidos pela Pirelli com o objetivo de proporcionar maior aderência e rapidez nas curvas, como nos velhos tempos da F-1, os monopostos poderão ter ganhos de três a cinco segundos no tempo de volta, mas ao mesmo tempo prometem ser mais difíceis de guiar do que os modelos do ano passado.

Resistência e força

Assim, a Ferrari concentrou seus esforços em encontrar um equilíbrio entre resistência e força aerodinâmica para o seu novo carro, que chamou a atenção em sua apresentação nesta sexta-feira principalmente pela espécie de "barbatana de tubarão" que ganhou logo acima da tampa do motor, no qual a peça predominantemente branca e com dois filetes de faixas com as cores da bandeira italiana quase encosta na asa traseira.

Outras duas novidades visuais importantes na aerodinâmica foram a adoção de uma asa dianteira em formato de flecha e o bico mais fino e alongado, que são consequências claras do novo regulamento estipulado para 2017.

E, além de apostar no seu projeto de design escolhido para as novas exigências aerodinâmicas da Fórmula 1, a Ferrari garantiu nesta sexta-feira que o seu novo motor irá significar um passo à frente em comparação ao propulsor que utilizou em 2016 no que diz respeito à obtenção de um melhor desempenho.

O novo carro da Ferrari poderá começar a mostrar a sua força na primeira bateria de testes coletivos da pré-temporada da F-1, que será realizada na próxima semana, no circuito de Barcelona, na Espanha. O Mundial de 2017 será iniciado apenas no dia 26 de março, data do GP da Austrália, em Melbourne.

PALAVRAS-CHAVE: automobilismo esportes

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo