NE10

Quadras

Em grave crise, futsal do Brasil apresenta técnico da seleção e pede ajuda à CBF

Publicado em 05/01/2017 , às 21 h53

Agência Estado

Em situação financeira precária, com a sede e o Centro de Treinamento penhoradas e precisando reerguer uma seleção que fez fiasco na última Copa do Mundo, a Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) decidiu recorrer à CBF para tentar se reerguer. E, com a ajuda do técnico Tite e do coordenador de seleções Edu Gaspar, a entidade encontrou uma luz no fim do túnel. O comando da seleção brasileira sinalizou com ajuda em termos de estrutura e logística.

Segundo o presidente da CBFS, Marcos Madeira, a parceira ainda é informal - vale ressaltar que o Brasil é o único país do mundo em que a seleção de futsal não é vinculada à mesma confederação que cuida do futebol de campo.

"Nessa parceria cada um vai fazer a sua parte. A CBFS não vai deixar de fazer o que sempre fez, e a CBF vai dar o que puder. É uma parceria de duas mãos, sem perda de autoridade, cada um fazendo a sua parte. Havia uma distância muito grande. Hoje não vai haver mais", disse Madeira.

O anúncio foi feito em um hotel na zona oeste do Rio. No encontro, não havia nenhum dirigente da CBF. Questionado sobre isso, Madeira afirmou que o motivo era para não dar a impressão de que a CBF estaria assumindo o futsal brasileiro. "Se ela estivesse assumindo, essa coletiva seria na sede da CBF. Não veio ninguém não porque não quisesse vir, mas porque daria essa conotação", justificou.

Um dos principais responsáveis pela aproximação das entidades foi o técnico Paulo Cesar Oliveira, o PC, que nesta quinta foi apresentado como novo técnico da seleção de futsal. Campeão mundial em 2008, ele retorna ao comando do time nacional.

No mês passado, PC esteve na sede da CBF para apresentar um projeto na área social quando acabou se encontrando, por acaso, com Edu Gaspar e com Tite. O trio se conheceu na época de Corinthians, quando PC comandava o futsal do clube do Parque São Jorge. No encontro, Paulo Cesar Oliveira apresentou a situação delicada que tem pela frente. A sede e o CT da CBFS, em Fortaleza, estão penhorados. Assim, a seleção brasileira de futsal não tem uma estrutura mínima para treinamento.

Tite, Edu Gaspar e o analista de desempenho Matheus Bacchi colocaram a estrutura da seleção à disposição. Matheus ofereceu treinamento e utilização do software de análise para a comissão técnica do futsal. É possível que a equipe de futsal utilize a estrutura da Granja Comary, em Teresópolis.

"A situação é precária. Nós não temos centro de treinamento, temos que construir uma nova casa. Esse novo momento passa por ter uma credibilidade. Nós fomos pedir ajuda, logística e administrativa. Vamos reconstruir tudo isso, mas salientando que temos que buscar recursos", disse PC. "Não temos uma sede, não temos nada disso."

Nos últimos anos, a CBFS enfrentou graves problemas de gestão que culminaram com a renúncia do ex-presidente, Aécio de Borba Vasconcellos. A situação financeira atual é caótica. As estatais que patrocinavam a entidade se retiraram por problemas na prestação de contas da confederação. De quebra, a principal competição do futsal brasileiro, a Liga Nacional, tornou-se independente.

O descalabro na gestão fez com que os principais jogadores da seleção anunciassem uma greve em 2014. A comissão técnica caiu no meio do ciclo para o Mundial. A preparação para a Copa do Mundo do ano passado, disputada na Colômbia, foi totalmente comprometida. Resultado: o Brasil caiu nas oitavas de final e terminou a competição com o décimo lugar, a pior campanha da história.

PALAVRAS-CHAVE: esportes outros esportes

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo