Adeus

Bernardinho deixa a seleção de vôlei e Renan Dal Zotto assume

Publicado em 11/01/2017 , às 15 h43

NE10 Com informações da Agência Estado

Renan Dal Zotto foi apresentado como novo técnico da seleção masculina de voleibol. / Foto: Confederação Brasileira de Voleibol.

Renan Dal Zotto foi apresentado como novo técnico da seleção masculina de voleibol. Foto: Confederação Brasileira de Voleibol.

O diretor técnico da Confederação Brasileira de Voleibol, Radamés Lattari, confirmou que Bernardinho não segue no comando da seleção masculina e Renan Dal Zotto assume o posto. Renan, de 56 anos, tem história na seleção brasileira como atleta, tendo sido medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984; e Mundial em 1982. Como técnico, já trabalhou no Brasil e na Itália.

"É motivo de muito orgulho estar aqui hoje, pela confiançado presidente e da CBV. Estou a mais de 40 anos nessa trajetória. "Tive a oportunidade nos dois últimos anos tive de vivenciar o dia a dia de dois dos maiores treinadores do mundo, o Zé Roberto e o Bernardo Rezende. Hoje me sinto muito à vontade. Quando veio o convite do presidente Toroca (Walter Pitombo Laranjeiras), na hora me veio essa expectativa. Minha mulher perguntou se eu me sentia pronto, e disse que sim.", disse Renan, após ser apresentado. O detalhe é que ele não trabalha como treinador há sete anos, quando passou a se dedicar mais à área de gestão.

Último ato de Bernardinho foi o ouro nos Jogos do Rio

Último ato de Bernardinho foi o ouro nos Jogos do RioFoto: AFP

De acordo com Lattari, a decisão de Bernardinho começou a ser tomada entre o Natal e o Ano Novo. Na última semana, o ex-levantador bateu o martelo e decidiu não continuar, pois a rotina de clube - é técnico do Rexona - e seleção consumia muito seu tempo ele quer ficar mais perto da família, principalmente do pai, que enfrenta problemas de saúde. Ele ficou à frente da seleção nos últimos 16 anos e construiu uma das histórias mais vitoriosas do esporte.

O diretor procurou afastar qualquer possibilidade de atrito de Bernardinho com a CBV. O agora ex-treinador, aliás, deverá seguir na entidade, agora como coordenador da seleção. "A maior prova de que não tem problema algum com a CBV é que o Toroca o convidou para fazer parte do conselho da CBV, mas o Renan convidou para ele ser coordenador da seleção e ele aceitou", disse. "É muito difícil para uma pessoa como ele, que está na seleção há 22 anos", continuou Lattari, lembrando o tempo em que Bernardinho comandou também a equipe feminina.

Retrospecto

Como técnico da seleção masculina, Bernardinho isputou quatro mundiais vencendo três e um vice. Nas quatro olimpíadas trouxe duas medalhas de ouro e duas de prata. O Brasil ainda conquistou oito Ligas Mundiais e oito Sul-Americanos, além de duas medalhas de ouro em Jogos Pan-Americanos. No total foram 32 títulos.

PALAVRAS-CHAVE: vôlei esportes

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo